Clínica de recuperação: Como funciona a internação?

Clínica de recuperação: Como funciona a internação?

Por conta do preconceito e todos os estigmas que envolvem a internação em uma clínica de recuperação é muito importante informar-se sobre como é e o que uma clínica faz.  Saber identificar quando a internação se faz necessária, torna-se imprescindível.

Neste texto, vamos abordar assuntos sobre o funcionamento de uma clínica de recuperação e o procedimento necessário para conseguir internação de dependente químico.  Acompanhe a leitura. 

O que é clínica de recuperação?

Clínica de recuperação é um local especializado em ajudar dependentes químicos a aumentarem a sua qualidade de vida e tratar a dependência química. 

Dentro de uma clínica de recuperação, trabalham diversos profissionais capacitados para auxiliar pacientes no tratamento dos problemas decorrentes do abuso de drogas. É o que chamamos de equipe multidisciplinar, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, psiquiatras e terapeutas. 

Geralmente, a clínica de recuperação é localizada em um lugar mais distante da vida urbana. Isso acontece porque o paciente precisa de discrição, paz e tranquilidade para se recuperar. 

Neste local, os pacientes têm acesso a boas acomodações e serviços com todos os cuidados necessários. Sendo assim, o tratamento é intensivo, longe do desgaste gerado pelos problemas externos que podem dificultar o tratamento.

Como funciona uma clínica de recuperação para dependentes químicos?

No caso de o dependente demonstrar interesse no tratamento e assumir o compromisso com a recuperação e buscar auxílio profissional para tratar da dependência química, o tratamento pode começar de forma imediata. Mas, infelizmente, esses são os casos que ocorrem em menor número. 

A maioria dos tratamentos ministrados em uma clínica de recuperação são os de internação involuntária, onde os familiares decidem internar o paciente para que ele possa receber o tratamento adequado.

Dessa forma, algumas clínicas, como a Clínica Liberty, tornam-se responsáveis pela internação integral para o efetivo tratamento do dependente químico

A anamnese é individual e indica quais passos devem ser implementados para que haja sucesso com o tratamento. Na Clínica Liberty o paciente tem acesso a diversas atividades terapêuticas. 

Os especialistas trabalham arduamente para que o paciente esteja apto para retornar à sociedade sem causar nenhum mal a si mesmo ou aos outros. 

Quais tipos de internação são oferecidos?

A internação em clínica de recuperação é a melhor forma de manter o dependente químico longe do ambiente das drogas e de pessoas que possam conduzi-lo ao consumo compulsivo por drogas.

O tratamento aplicado é individual, dentro das necessidades psíquicas e físicas de cada paciente. Sobretudo, a internação geralmente pode ser feita de três maneiras:

Internação voluntária

A internação voluntária ocorre pela própria vontade do dependente que consente com sua internação. Sendo assim, para que esse tipo de internação ocorra, é necessário uma solicitação formal assinada voluntariamente na qual o próprio opta pelo tratamento. 

Mesmo sendo uma internação voluntária, o dependente deve ter a presença de um familiar consanguíneo para participar do tratamento. 

Estamos online para te ajudar. Fale com nossos especialistas

Internação involuntária

A internação involuntária é aplicada quando o dependente químico não tem mais controle das suas ações. 

É usada quando o indivíduo não tem forças ou capacidade de compreender que precisa de ajuda profissional, por conta do excessivo consumo de drogas. 

Para esse tipo de internação é necessário ser parente consanguíneo. Assim que a solicitação é aceita, o médico avalia e decide se realmente há a necessidade de internação ou se será feito outro tratamento. 

Assim como em qualquer tratamento dentro da clínica de recuperação, a ajuda da família é essencial. No caso da internação involuntária, o familiar que solicitou o procedimento à clínica pode pedir a interrupção.  

Internação compulsória

A internação compulsória é realizada a partir de ordem judicial, independente da vontade do indivíduo. 

Um juiz pode emitir essa ordem judicial após a solicitação do médico responsável pelo dependente. A família pode interferir no pedido. 

A internação compulsória também é solicitada quando há crimes cometidos por pessoas que estejam sob influência de substâncias químicas.

Nesse caso, é necessário um laudo médico que comprove que o indivíduo precisa do tratamento. Para que o juiz possa expedir a ordem judicial, também há análise das condições de segurança da clínica de recuperação, para garantir que o local tenha os pré-requisitos necessários para internação.

É importante destacar que na internação compulsória, o juiz não tem o poder de interferir no tratamento do paciente. Apenas os médicos podem fazer isso, assim como estipular a data de alta do tratamento. 

Como identificar a necessidade de tratamento na clínica de recuperação?

Dificilmente o dependente químico consegue por si só parar de usar drogas. O grau de intoxicação, tipo de droga, tempo de uso, entre outros fatores, dificultam a abstinência de drogas sem ajuda de médicos especializados.

Isso acontece porque as substâncias químicas são responsáveis por causar diversas reações físicas e psíquicas nos seres humanos. 

Conforme a pessoa utiliza substâncias químicas o organismo desenvolve maior tolerância e induz ao aumento da frequência e quantidade de uso na tentativa de obter as mesmas sensações anteriores sentidas pelo uso de drogas.

Por conta disso, quando o indivíduo passa mais tempo do que o normal sem usar determinada substância, o cérebro e o corpo começam a sentir falta da droga, dando início ao processo de abstinência. 

É neste momento que é possível identificar a necessidade de tratamento especializado. Pois, a abstenção dessas substâncias podem causar alguns sintomas perceptíveis no no dependente, como por exemplo: desconforto físico intenso, dores físicas, tremores, crises de ansiedade, convulsões, oscilação da pressão arterial, depressão, entre outros sintomas.

Essa é uma fase difícil para o dependente químico, que dificilmente pode enfrentá-la sozinho. 

Identificar a necessidade de tratamento é importante, porém é apenas o primeiro passo. Para que o dependente consiga realmente abster-se do uso de álcool e drogas é preciso saber quando realizar a internação. Isso será explicado no próximo artigo. Por isso, não deixe de acompanhar nosso blog. 

Solicite atendimento na Clínica Liberty.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não irá aparecer